Engenho de Dentro do ponto de vista imobiliário

Localizado em ponto estratégico, o bairro é conhecido pelos esportes e cultura.

Considerado um bairro de classe média, é dividido pela linha do trem e é vizinho dos bairros Inhaúma, Abolição, Água Santa, Cachambi, Encantado, Piedade, Pilares e Todos os Santos.

Ainda resguarda casarões e tradições que resistiram ao tempo, como é comum ainda ver chinelos fazendo a baliza do futebol da molecada e moradores sentados nas calçadas, como antigamente.

Desenvolveu-se na segunda metade do século XIX, a partir da implantação da antiga estrada de ferro Pedro II (Estrada de Ferro Central do Brasil), após a Proclamação da República, foi erguido um galpão de pintura de carros, atual Museu do Trem.

Além do museu, o bairro também conta com o Museu de Imagens do Inconsciente, localizado no Instituto Nise da Silveira.

Não é um bairro muito populoso, mas é um dos mais notáveis devido aos estádios que foram utilizados nos jogos pan-americanos e nos jogos olímpicos de 2016.

O bairro do Engenho de Dentro é um dos que formam a região do Grande Méier. As principais ruas do bairro são as ruas Adolfo Bergamini e Borja Reis.

É um bairro considerado heterogêneo, pois possui algumas favelas desde a classe média baixa até algumas mansões e prédios novos da classe média.

O índice de desenvolvimento humano é de 0,857 e ocupa a posição 48 entre os 126 bairros da cidade do Rio de Janeiro. Com relação ao índice de desenvolvimento social, o bairro fica na posição 58 de 158, com 0,610.

 

Lazer e História

O bairro conta com o Estádio Nilton Santos (Engenhão) e com pistas para bicicletas e caminhadas que cercam o estádio. Há também praças Rio Grande do Norte, Amambaí e Itapevi.

Quando acabaram os jogos Pan-americanos de 2007, a prefeitura cedeu o estádio para o Botafogo de Futebol e Regatas

O estádio também foi sede dos Jogos Olímpicos de Verão de 2016 e coleciona polêmicas, relacionadas a seu custo final que ficou seis vezes acima do esperado, e à problemas estruturais que mantiveram o estádio fechado pouco tempo depois de construído.

Não há shoppings no bairro, mas ele fica bem próximo do Norte Shopping.

Um dos antigos galpões que serviam a malha ferroviária abrigam mais de mil itens sobre a história das ferrovias brasileiras. Ali se encontram relíquias como a Baroneza, a primeira locomotiva a circular no país, e o vagão oficial da presidência na década de 1930, usado pelo presidente Getúlio Vargas.

Após a extinção da Rede Ferroviária Federal, a propriedade foi transferida para o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Além do museu do Trem, o bairro também tem o Museu de Imagens do Inconsciente, que fica no instituto Nilse da Silveira. Esse instituto surgiu como uma colônia de alienados no início do século XX, para atenuar a superlotação do então Hospício Nacional e também isolar os pacientes do centro urbano. Com o fechamento do complexo da Praia Vermelha na década de 40, cresceu e foi transformado em Centro Psiquiátrico e Hospital Pedro II. O nome é uma homenagem a psiquiatra alagoana Nise da Silveira, que desenvolveu no local seu método de cura pela arte.

A estação de trem do Engenho de Dentro foi inaugurada em 1873, reconstruída e ampliada por volta de 1937, como parte do projeto de eletrificação das linhas de trem, em substituição ao sistema de tração a vapor. Nessa época, passou a contar com cinco plataformas e uma estrutura metálica na forma de arco treliçado. Foi reformulado para os jogos pan-americanos e posteriormente para as olimpíadas.

Foi no bairro Engenho de Dentro que também foi inaugurado, em 1994 o bar português Manuel & Joaquim da cidade, na Rua Pernambuco.

Foi na rua Adolfo Bergamini onde ocorreu o primeiro desfile das escolas de samba, sendo sede também de uma agremiação tradicional, o GRES Arranco.

A praça do trem tem cerca de 40 mil metros quadrados, e foi inaugurada em 2016 ao lado do estádio do Engenhão, no terreno das antigas oficinas da ferrovia. O objetivo era transformar galpões abandonados em ponto de atração para os moradores, junto a um passeio publico com calcadas reformadas, mobiliário urbano e paisagismo.

A Igreja Nossa Senhora da Conceição e São José arrecadou fundos para a sua edificação de 1956, construindo no terreno um parque de diversão, chamado de mafuá e juntavam o dinheiro da bilheteria. Outra forma de renda provinha de doação de moedas que passeios do antigo bonde jogavam em um lençol esticado por catequistas no mudo da casa paroquial.

O casario no entorno da Praça Amambaí e ao longo da Rua Alberto Leite é um retrato dos áureos tempos do subúrbio: casas com amplas varandas e muros baixos, arquitetura exclusiva, e na maioria delas, a figura de algum santo religioso no topo da fachada, além de pequenas placas com nome de moradores e sua formação.

 

Saúde

O bairro conta com importantes unidades de saúde, públicas e particulares.

Os hospitais Norte Cor e Memorial Fuad Chidid são da rede particular, e os públicos são o Hospital Psiquiátrico e a Unidade de Pronto Atendimento 24 horas – UPA. Esses dois centros estão localizados dentro do complexo do Instituto Nilse da Silveira e o Centro de Saúde Milton Fontes Magarao.

Com ações nas áreas da cultura, educação social, esporte, lazer, saúde e turismo, a unidade de Engenho de Dentro do Serviço Social do Comércio foi a primeira unidade a ser inaugurada no estado do Rio de Janeiro, em 1947.

 

FAQ

Como é morar no Engenho de Dentro?

É considerado um bairro tranquilo, amigável e acessível com relação a transportes. Possui diversos pontos de comércio com ampla variedade de produtos e serviços.

Qual a origem do bairro Engenho de Dentro?

A sua origem é da época colonial, quando as terras sediavam um engenho de açúcar, que lhe deu o nome. Desenvolveu-se na segunda metade do século XIX, a partir da implantação da antiga Estrada de Ferro Pedro II – que era a Estrada de Ferro Central do Brasil.

Em que bairro fica o Engenhão?

O Estádio Olímpico Nilton Santos, antes denominado Estádio Olímpico João Havelange e conhecido como Engenhão, é um estádio poliesportivo localizado no antigo terreno da Rede Ferroviária Federal, no bairro do Engenho de Dentro, na cidade do Rio de Janeiro.

Preço médio dos apartamentos no bairro Engenho de Dentro

  • Mediana do preço de apartamentos anunciados para venda
    R$ 270.000
    amostra = 1 apartamentos
  • Mediana do preço de apartamentos anunciados para aluguel
    R$ 0
    amostra = 1 apartamentos
Casa
Quer morar no bairro Engenho de Dentro? Então veja:
Casa
Quer trabalhar no bairro Engenho de Dentro? Então veja:
Receber Atendimento